1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer


Colegiado


Aglomerados Verdes de Servidores: Controle Energético, Modelagem Térmica e Qualidade de Serviço.

Aglomerados de servidores são elementos fundamentais no suporte a economia global. Contudo, estudos demonstram que o gasto energético associado ao uso desses sistemas tem aumentado dramaticamente em escala mundial. Esse gasto envolve não somente a alimentação dos servidores, mas também o seu resfriamento. Isso implica não somente em maiores dispêndios financeiros, mas também em significativos problemas ambientais. Esse projeto trata da redução do consumo energético em aglomerados de computadores, mas ainda assim garantindo a qualidade de serviço contratada pelo usuário. Nossa proposta é inovadora pois, além de propor técnicas para gerenciamento de gasto energético, procura juntar gerenciamento térmico e controle de carga de forma original. Diferentemente da maioria das soluções encontradas na literatura, esse projeto de pesquisa não é baseado somente em simulação, mas também na construção de um protótipo para prova de conceito. Finalmente, devido à sua multidisciplinaridade, envolve equipes do Instituto de Computação da UFF, do Departamento de Engenharia Mecânica da PUC-Rio, do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Pittsburgh, EUA, e também a empresa Cáritas Informática, especializada na montagem de CPDs.

Financiamento: Coordenador: Início - Término: Laboratório:
CNPq Julius Leite 2011 - 2013 Lab Tempo

Computação Verde: Economia de Energia e Qualidade de Serviço em Agrupamentos de Servidores.

Esse projeto trata da da aplicação da chamada Computação Verde à área de economia de energia em agrupamentos agrupamentos de servidores. Grandes clusters são cada vez mais comuns, como, por exemplo, os empregados em sistemas de busca e de comércio eletrônico. A cada ano aumenta o desempenho desse tipo de sistema e, também, o consumo de energia necessária para o seu funcionamento. Colocando isso em números, levantamento feito pela U.S. Environmental Protection Agency estimou a demanda de pico desses sistemas, no ano de 2007, em 7 gigawatts e que, se mantida a tendência, atingirá 12 gigawatts em 2011. A título de comparação, nos dias de hoje a usina de Itaipu vem gerando aproximadamente 12 gigawatts. Nesse projeto, o objetivo é diminuir o gasto energético do cluster, mas contudo mantendo uma qualidade de serviço estabelecida em contrato.

Financiamento: Coordenador: Início - Término: Laboratório:
Faperj Julius Leite 2011 - 2012 Lab Tempo

MultiTV

O Projeto MultiTV é desenvolvido em parceria com a empresa incubada Peta5, constituída por um grupo de alunos e ex-alunos do Laboratório. O objetivo do MultiTV é oferecer às emissoras de TV Digital condições de veicularem conteúdo direcionado ao perfil do telespectador. Este perfil poderá ser a localização geográfica, padrão de consumo ou interesse demonstrado pelo mesmo, dentre outros critérios que poderão ser incorporados ao sistema.

A equipe de oito desenvolvedores é financiada pelo CNPq através do Edital MCT/SETEC. O primeiro protótipo funcional está previsto para o ano de 2010.

Financiamento: Parceiros: Coordenadora: Início - Término: Laboratório:
CNPq  - Débora Christina Muchaluat Saade  - Mídiacom

SCIADS: Sistema Computacional Inteligente de Assistência Domiciliar à Saúde.

Este projeto enfoca a aplicação do paradigma de computação ubíqua em sistemas de assistência domiciliar à saúde, onde dispositivos computacionais, sensores e atuadores, operam de forma cooperativa, permitindo o telemonitoramento em tempo-real de pacientes em suas habitações. O potencial benefício clínico da monitoração remota foi comprovado em estudos que demonstraram sua capacidade de reduzir enormemente (quase a zero) a taxa de re-internações para pacientes com determinada doença, e.g., insuficiência cardíaca. Numa etapa anterior dessa pesquisa, identificamos diversas questões, na área de Ciência da Computação e Ciências Médicas, fundamentais para a viabilização da assistência domiciliar a pacientes baseada em computação ubíqua. Na atual fase de continuidade da pesquisa, além de especialistas da área médica, agregamos pesquisadores da área de Computação, especialistas nas questões adicionais anteriormente identificadas. Pretendemos criar um ambiente smart home, para testes preliminares dos sistemas, e também realizar experimentos pilotos com pacientes reais em suas residências, essenciais para avaliar os aspectos clínicos da proposta. A tecnologia a ser desenvolvida tem o potencial de aumentar a qualidade de vida do paciente e do atendimento médico geral da população; adicionalmente, com sua utilização o custo de provisionamento dos serviços de saúde por entidades governamentais poderá ser reduzido. O conhecimento adquirido poderá ser empregado no desenvolvimento de produtos de ponta, numa área de grande demanda, na qual somos extremamente carentes. Finalmente pretendemos consolidar uma rede de conhecimento numa área multidisciplinar, com grandes desafios de pesquisa, estabelecendo uma base sólida para futuras colaborações.

Financiamento: Parceiros: Coordenador: Início - Término: Laboratório:
Faperj UERJ Orlando Loques 2010 - 2012 Lab Tempo

Grupo de Pesquisa, Formação e Desenvolvimento de Televisão Digital no Rio de Janeiro – GPFD-TVD-RIO

Esta proposta é apresentada ao RH – TVD e tem por objetivos gerais:

  1. Apoiar a formação de recursos humanos, em nível de pós-graduação stricto sensu(mestrado e doutorado), capacitados para atuar na área de TV digital;
  2. Fortalecer e ampliar os de programas de pós-graduação participantes do projeto no que diz respeito à formação de recursos humanos em TV digital;
  3. Fortalecer e ampliar as áreas de concentração dos programas de pós-graduação participantes que formem profissionais com conhecimentos técnico-científicos especializados em TV digital, focalizando a codificação de vídeo, a interatividade e o desenvolvimento de software, consolidando o senso interdisciplinar que norteia o desenvolvimento do SBTVD-T;
  4. Ampliar a produção científica e tecnológica das instituições participantes sobre questões relacionadas à TV digital;
  5. Promover o intercâmbio de conhecimentos e a formação de parcerias entre as instituições participantes, para que, de forma articulada, desenvolvam pesquisa de pesquisa sobre assuntos relativos à TV digital.
  6. Desenvolvimento de tecnologias.

Acreditamos que tais objetivos inserem-se de forma relevante para o SBTVD. Além disso, considerando que o Rio de Janeiro é hoje um dos pólos produtores de conteúdo, a presente iniciativa  visa suprir uma demanda potencial por profissionais capacitados.

Financiamento: Parceiros: Coordenadora: Início - Término: Laboratório:
CAPES  - Débora Christina Muchaluat Saade  - Mídiacom

Mais artigos...

  1. Autore 3D

PESQUISA PELO SITE

MENU

Início Instituto Laboratórios Departamento
Pesquisa Pós-Graduação Graduação Fale Conosco

CONTATO

IC-Mapa

Av. Gal. Milton Tavares de Souza, s/nº
São Domingos - Niterói - RJ
CEP: 24210-346

IC-UFF-Telefone-icone Fale Conosco

 Como Chegar

CONECTE-SE

IC-Conecte-se-Facebook IC-Conecte-se-Twitter

LINKS

Faperj Lattes Finep SBC PROGRAD
CAPES CNPQ SIAPENET IDUFF NDC

 

Desenvolvido por pela equipe de Suporte Técnico do Instituto de Computação - suporte.ic.uff.br - Web Designer: Emanuel Machado